Seguidores

segunda-feira, 28 de abril de 2008

Onde está a minha mente?


Onde está a minha mente?

Minha mente quer controlar tudo.

Quer controlar o tipo de atitude que preservará minha imagem, a resposta que será melhor aceita, a roupa que me definirá como pessoa.

Tudo pela obsessão por um estilo de vida. O estilo de vida que os outros vão ver.

Todos esperam um deslize para posteriores julgamentos.

Então hoje eles terão!!!!

Minha mente não agirá mais tão condizente com fórmulas que não são minhas.

Nada de tentar controlar minhas perguntas e respostas, nada de julgamentos, nada disso.

Somente a certeza de não ser necessário ter em mente a vontade de controlar tudo.







sexta-feira, 25 de abril de 2008

Minha irmã Abobrinha



É mandona, é engraçada, fala grosso e briga por qualquer coisinha.

Muitas vezes brigamos feio por não conseguirmos dar o braço a torcer, sempre queremos ter razão.

Ela se considera, mesmo gordinha, a mulher mais bela, a mais poderosa e a mais interessante de todas. Juro que já tentei ser assim mas não consigo!!!!!!!!!!

Acha que pode resolver meus problemas, os dela e de toda família com apenas uma conversa.

Cozinha muuuuuito bem!!! Sempre fala que faltou ou sobrou algum ingrediente em seus pratos só pra falarmos: _ Não Crissssss, tá híper gostoso!!!

Tem poder de persuasão, poder de indução e poder de encher o saco.

Ela já me bateu com antena de TV, chinelo, sapato, cabo de vassoura. Realmente eu não era fácil.

Acha que sou infantil, imatura, inconsequente e que desapareço por muito tempo.

Sempre mantém um ar de afastamento entre nós, não sei dizer o motivo mas até que gosto.

Hoje ela completa 34 anos, 5 meses de gravidez e dois dias do seu último sermão (pra mim é claro).

A comemoração será amanhã e como sempre ela lamentará o fato do meu pai não ter se lembrado. Sei bem como é.


Abobrinha, você é chata mas eu te amoooooo!!!!!!!!!!!!!!!!!!








































terça-feira, 22 de abril de 2008

Coisas do passado


Certas coisas nos procuram como se precisassem de perdão, coisas que foram feitas no passado.
Essas coisas nos perseguem por toda parte.
Elas precisam saber que não estamos bem, precisam da nossa tristeza.
Nossas alegrias não podem ser vistas pelo peso dos nossos pecados e por isso nos julgamos para que assim, eles tomem força.


Reforço com o texto abaixo:


As pessoas acham que voltar para o eixo é fácil. Difícil ignorar o fato de que aquele movimento que você fez pra direita ou pra esquerda alterou alguma coisa no seu destino. Daí chega aquele momento que te dá um surto, você faz o que te dá na telha e quase toma ferro por isso. Há muito tempo, corri dos meus erros, agora que eles foram revelados, inevitavelmente encontro-me cansada. Cansada de tudo e cansada de todos....se bobear até de mim.

sábado, 19 de abril de 2008

Hoje de manhã




Hoje acordei na porta de onde eu trabalho. Sim meus caros, é isso mesmo.
Acordei com o frentista me olhando pela janela do carro. Não me perguntem como porque já vou responder.
Ontem foi aniversário de um amigaço meu. Daí deixei meu carro no estacionamento onde eu trabalho e fui de carona com um outro amigo.
Me lembro de estar às 4:25 da manhã na estrada indo pra algum lugar.
Não sei bem ao certo mas acho que tinha a ver com alguma questão relacionada a "chutar o pau da barraca e virar hippie" ou algo do gênero " fodas pra todo mundo".
Eu chutei tanto o pau da barraca com direito a dar fodas pra todo mundo que no meio do caminho pedi pra voltar porque tinha que trabalhar hoje às 9:00 da manhã.
Agora aqui me encontro com uma baita ressaca, não posso ir na área do cafezinho porque estou com vergonha do frentista e ainda tenho que aguentar os olhos dos curiosos ( incluindo o diretor de redação) querendo saber o motivo de eu estar com a mesma roupa de ontem.
Eu posso dizer que me arrependo amargamente por não ter continuado na estrada.

sexta-feira, 18 de abril de 2008

Admito que perdi


Se você não suporta mais tanta realidade.
Se tudo tanto faz, nada tem finalidade.
Então pra quê viver comigo?
Eu não vou ficar pra ver nossa ponte incendiada.
Nossa igreja destruída, nossa estrada rachada.
Pela grande explosão que pode acontecer no nosso abrigo.
Olhei pro amanhã e não gostei do que vi.
Sonhos são como deuses, quando não se acredita neles, deixam de existir.
Lutei por sua alma, mas admito que perdi.
Agora vou me perder nesse planeta conhecido.
Intuir novos mistérios que ficaram escondidos.
Naquelas palavras marcadas na sua carta de Adeus.
Meu corpo vai sobreviver mesmo estando ferido.
E até na hora de morrer eu não vou me dar por vencido.
Porque sei que meus perdões vão estar bem ao lado dos seus.
Olhei pro amanhã e não gostei do que vi.
Sonhos são como deuses, quando não se acredita neles, deixam de existir.
Lutei por sua alma mas, admito que perdi.




Admito que perdi também Paulinho Moska!!!!!!!!!!!! Vamos apenas virar a página.

quinta-feira, 17 de abril de 2008

Solução romântica



A religião é solução romântica para muitos dos problemas, torna tudo justificável.

Pouco importa se a terra for um vale de lágrimas com horrendos sofrimentos porque seremos servos de Deus.

Existem pessoas que não podem suportar o terror que se manisfesta diante de seus olhos abertos, elas precisam se voltar para o mistério, precisam esconder a realidade atrás de um relacionamento simbiótico com algo abstrato.

O homem precisa da crença em algo que faça-o ser pra sempre, ele precisa de algo que faça-o acreditar que o sofrimento é necessário.

Pra alguns, tudo é regido por um ser supremo, e com isso, eles abocanham a "realidade" que necessitam.


" O ser-humano precisa incutir em sua vida um valor que lhe permita julgá-lo bom" Ernest Becker

sexta-feira, 11 de abril de 2008

O doce nunca é tão doce sem o amargo


Eu acho que passamos pelas coisas só pra falar que aconteceram conosco.
Não com outra pessoa, mas conosco.
Essa certeza assola muitas mentes e muitos corações.

E os dias vão se definindo, e a vida vai se definindo, e a pessoa vai se definindo.

Nossos pensamentos, nossos sentimentos, nossas dores e nossos prazeres, todos vão se definindo em meio as coisas que acontecem conosco.

É preciso ter em mente que por piores que estejam, elas poderiam estar muito piores.

A melhor atitude a ser tomada é aguardar a tempestade passar.

Preciso de dias melhores para essa certeza tão cinza.








quinta-feira, 10 de abril de 2008

Eu e o nada


Alterei para tirar do eixo.

Tirei de onde estava pra me acostumar sem algo lá.

Aquilo me deixava insegura, só me deixava ser o que eu não era, me deixava só.

Então pra quê estar lá? Pra dizer que o lugar está preenchido?

Não. Prefiro me acostumar sem algo naquele lugar.

Simplesmente olhar e não ver nada.

Talvez lá na frente eu olhe e queira ver algo, mas hoje, meus olhos tristes só querem ver o nada que vem de lá.


terça-feira, 8 de abril de 2008

Maniada



Eu tô de saco cheio.
Vou chutar o balde e o pau da barraca.
Vou cortar o mal pela raiz.
Pra mim chega.
Vou dar um basta nisso tudo.
Já deu.
Ultimamente certas pessoas estão me cansando de uma tal maneira, que já não consigo disfarçar.
Uma dessas pessoas sabe do que eu não gosto e faz assim mesmo. Pode isso?
Pode.
Outro dia eu ouvi dela a seguinte frase: _Seu problema é que você é muito maniada.
_Tá, mas o que é maniada? Perguntei .
_ É uma pessoa cheia de manias. Respondeu.
Se eu sou "maniada", qual seria a definição de personalidade? Uma das definições não está pautada sobre o fato da personalidade estar ligada ao conjunto de manias de uma pessoa? Mas então todo mundo é "maniado"!!!!!!!!!!!!!!!
Olha, eu tô de saco cheio.
Vou chutar o balde e o pau da barraca.
Vou cortar o mal pela raiz.
Pra mim chega.
Vou dar um basta nisso tudo.
Já deu.

E vou terminar esse relacionamento agora mesmo!!!!!!!!!!!!!! E vai ser pelo telefone!!!!!!!!!!!















segunda-feira, 7 de abril de 2008

Tia Pepê


A Tia Pepê tinha personalidade forte.

Foi ela que me tirou do hospital quando tive um acidente e me levou para que ela mesma cuidasse dos meus machucados. Ela sabia o quanto me aborreceria ficar alí sendo cuidada por enfermeiras que não respeitavam minha histeria.

Foi a Tia Pepê também que me estendeu a mão numa época muito estranha da vida e só me julgou o bastante para que eu aprendesse.

Ela tinha respostas para tudo, mesmo que discordássemos, ela se satisfazia em dizer algo de peso e num ocasional atrito, a primeira pessoa a se pensar em pedir ajuda era pra ela.

Quantas vezes viu pessoas chorar por coisas tão pequenas que iriam passar com o tempo, sendo que, seu choro só foi visto quando no fim, algo voráz tomou conta do seu corpo, algo que não poderia passar com o tempo.

A Tia Pepê não está mais aqui.

Não tenho mais seu norte, não tenho mais sua mão e não tenho mais seu dom de mostrar a pequenez do que me faz chorar.

Mas de uma coisa tenho certeza, a Tia Pepê será sempre a moeda que não vai cair.

Continuarei vivendo tendo a percepção tardia do que era a Tia Pepê.



Obs: foto tirada no dia 19/11/06 na comemoração do seu último aniversário.

sexta-feira, 4 de abril de 2008

Presente


O presente é estar num café aqui na esquina.

O presente é ter olhos fixos num bloco de papel.

O presente é caneta formando idéias.
O presente não é importante, muitas vezes ele é esquecido por termos mais o que fazer.

O presente é pensar o que já foi e se perguntar porque se vive o presente.

O presente é se ter toda certeza e não ter certeza alguma.

O presente é esgotamento por não encontrar respostas.

O presente é estar com olhos marejados de lágrimas.

O presente simplestemente é o que não será mais da mesma forma.



terça-feira, 1 de abril de 2008

Sonho nosso de cada dia


Outro dia entrei num blog e lí um texto que falava sobre um cara que, no pico do seu estresse, resolveu numa segunda-feira, jogar tudo pro alto e ir pra praia.

Fiquei pensando, nós mineiros não podemos banhar nosso estresse na praia.

Cá estamos nós, cheios de horizontes sem acesso.
O único pico acessível é aquele onde não queremos estar, o pico do estresse.

Sim meus caros, eu quero praia. Eu quero praia logo alí de mineiro.

Eu quero a mineirada exibindo cores desbotadas pelo calçadão.

Nem ligo se tomar um " caldo" por não saber nadar.

Quero ter aquela praia com um quiosque servindo farofa mineira e que o dono, já meu amigo, pergunte:
_ Uai, hoje cê veio??!!